As transformações impostas pela Quarta Revolução estão transformando de forma radical não só as ferramentas de acesso aos bens e mercadorias, mas também as experiências dos clientes e o comportamento humano. Se o varejo já vinha sendo colocado à prova em razão das mudanças da Indústria 4.0, com a pandemia do novo coronavírus esses dilemas e exigências elevaram-se ainda mais. A Covid-19 impôs uma série de adaptações ao varejo em todo o planeta, já que as atividades econômicas entraram em compasso de espera por conta do isolamento social. O conceito do físico e do móvel está em acelerado teste mundial. Desde compradores que experimentam pela primeira vez o comércio eletrônico ou que faz uma compra na calçada até a troca dos itens que adquiriram, a transformação é extensa. Diante disso, a necessidade de inovação digital é essencial.

Todos esses assuntos foram abordados em webinar realizado no último dia 21 de maio, do oqual participaram George Millard, CEO da Mozaiko, e Sam Selim, diretor sênior global do Stefanini Group. Na troca de ideias, ambos discutiram as novas tecnologias de alta perfomance que estão sendo usadas pelos varejistas para lidar com a Covid-19, além de desafios na entrega e execução de pedidos.

Os executivos discutiram estratégias digitais para entender mais facilmente o perfil do cliente e suas preferências, visando que o processo de compra seja feito em uma rede de vendas totalmente mobile e sofisticada. Na palestra virtual foi abordada a temática de como automatizar o processo de compra do cliente e apresentá-lo com opções que satisfaçam suas necessidades, desafio constante das organizações no mundo da Inteligência Artificial (IA) e da Internet das Coisas (IoT). George e Sam consideram que, com a pandemia mundial do novo coronavírus, as empresas se veem na obrigação de trabalhar novas formas de apresentar seus produtos e serviços on-line aos consumidores. É um tema de primeira ordem nas corporações. 

George comentou no webinar Brick & Mobile: SMART Retail, realizado na plataforma Steftalks, que a mente dos consumidores está mudando durante a quarentena. “Eles estão mais disponíveis para consumir on-line”, avalia. Para o CEO da Mozaiko, um dos desafios da venda digital é permitir que o consumidor alcance seu objetivo com apenas um clique, com rapidez, eficiência e agradabilidade. “Seria um sonho”, observa George.

Para Sam, diretor da Stefanini Group, ter a habilidade de compartilhar marketshare com mindshare é fundamental.  Neste caminho, segundo ele, quatro elementos devem ser considerados: pessoas, produtos, preferências e processos. “A busca deve ser pela atração aliada a interação e transação a qualquer momento, através de métodos digitais e inteligência artificial”, analisa Sam.